Main Ad

Zé Haroldo se posiciona contra ampliação de áreas de conservação em reunião no Palácio do Planalto

“As políticas para a Amazônia precisam incluir as pessoas que ali vivem, observando os aspectos sociais, oferecendo amparo e sustento.” Zé Haroldo Cathedral (Foto: Ascom)


Na terça-feira (11), ocorreu uma reunião no Palácio do Planalto com a presença da comitiva do estado de Roraima, composta pelo governador Antonio Denarium, parlamentares federais e estaduais, além de técnicos do governo federal. O objetivo do encontro foi criar um espaço de diálogo político para discutir a proposta de ampliação de três novas áreas de conservação em Roraima.

As áreas em questão incluem a transformação do Parque do Parima em Floresta Nacional, bem como a ampliação das áreas da Estação Ecológica de Maracá e do Parque Viruá. A reunião foi conduzida pelo secretário Especial de Assuntos Federativos da Secretaria de Relações Institucionais, André Luiz Ceciliano, e contou com a participação do secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente e Mudança Climática, João Paulo Capobiano, e do presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICmbio), Mauro Pires. 

Durante a audiência, o deputado Zé Haroldo Cathedral (PSD-RR) manifestou seu posicionamento contrário e expôs as possíveis implicações da ampliação de áreas de preservação para centenas de famílias que vivem na localidade, especialmente, aos moradores da Vila Petrolina. “As políticas para a Amazônia precisam incluir as pessoas que ali vivem, observando os aspectos sociais, oferecendo amparo e sustento, especialmente, para as famílias que dependem da agricultura familiar. Para enfrentar os desafios ambientais na região Norte é crucial adotar uma abordagem que envolva políticas estruturantes de apoio à população local e, principalmente, aos pequenos produtores”, defendeu. 

O secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente e Mudança Climática, João Paulo Capobiano apresentou aos parlamentares a agenda fundiária e ambiental defendida pelo governo federal para a Amazônia. E diante da complexidade em torno do assunto, foi pactuado a criação de um grupo de trabalho para aprofundar a discussão. Na ocasião, o governador Antonio Denarium reforçou a insegurança jurídica gerada e os efeitos ao desenvolvimento econômico do estado. “Roraima é o estado que mais contribui para a pauta ambiental do país e que hoje detém mais de 66% do seu território preservado. Precisamos pensar soluções sustentáveis que garantam um futuro próspero para a região, com o equilíbrio entre a preservação e o bem-estar de todos os cidadãos.”

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem