Main Ad

Michel Temer conta detalhes da intervenção federal em Roraima

Ex-presidente Michel Temer/Foto: Divulgação Reprodução


Em dezembro de 2018, o Estado de Roraima entrou para a história do país. A crise política e econômica e a migração descontrolada levaram o Governo Federal a tomar uma decisão extrema. Assim, em 10 de dezembro daquele ano, o então presidente Michel Temer decretou a intervenção federal total no Estado.

O ato inédito no país resolveu a crise no Estado. Isso porque, o atraso nos salários afetou a segurança pública. E somado a esta situação, o Estado também vivia o auge da migração, com mais de mil pessoas entrando todos os dias em Roraima.

E conforme o ex- presidente Michel Temer, a ajuda de Romero Jucá foi decisiva para reorganizar o Estado. “Em 2018, a situação de Roraima era muito grave. Então, o senador Romero Jucá me procurou para buscar uma solução. Logo, eu decretei a intervenção e, a pedido do Romero Jucá, nomeei o governador eleito como o interventor”.


Decisão que trouxe a paz

Com a aprovação da intervenção federal, a União pôde então assumir as despesas do Estado. E o ex- presidente Temer também decretou a intervenção no sistema prisional estadual.

“Com isso, nós liberamos os recursos para o Estado colocar os salários em dia e resolvemos a situação grave dos presídios. Desta forma, graças a nossa atuação e do senador Romero Jucá, o novo governador assumiu com a situação sob controle”. explicou Temer.


Natal e Ano Novo foram garantidos

Além disso, no dia 17 de dezembro de 2018, Michel Temer assinou a MP 864/2018 que repassou R$ 225,7 milhões para Roraima. O valor ajudou a pagar os três meses de salários atrasados, o 13º e ainda o ICMS dos municípios. 

A medida também trouxe de volta a estabilidade para o mercado local. Com os salários atrasados, os negócios locais sentiram o impacto. Assim, o Natal e o Ano Novo foram garantidos para as famílias de Roraima.


Fonte: Roraima em Tempo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem