Main Ad

Teresa lança livro falando sobre políticas públicas para a primeira infância

 

Neste livro, Teresa usa a sua experiência de cinco mandatos à frente da Prefeitura de Boa Vista para mostrar a prefeitos, governadores e outros gestores públicos como é possível implantar uma política pública capaz de ajudar as crianças a se desenvolverem melhor, na família, na escola e na vida. 

É a primeira vez que ela faz um registro abrangente e detalhado da política integrada e intersetorializada para crianças de 0 a 6 anos, implantada em suas duas gestões, que transformou Boa Vista na Capital da Primeira Infância, uma referência nacional e internacional sobre o tema. 

Teresa, nesse guia, mostra de forma didática, o passo-a-passo da construção da política pública. Assim, a leitura pode estimular mais gestores públicos e facilitar seu caminho na criação de ações e serviços públicos em favor dos pequenos.  

O leitor encontra orientações importantes sobre as etapas da elaboração e da implementação da política integrada, sempre fundamentadas com a visão e a perspectiva estratégica de Teresa. Para tornar a leitura mais leve e inspiradora, o guia traz exemplos do que foi realizado em Boa Vista. 

Com este livro, Teresa dá mais um passo em favor da Primeira Infância: ela sistematiza e compartilha o conhecimento construído na experiência exitosa desses anos à frente da Prefeitura de Boa Vista. 

“Muita gente, do Brasil e de outros países, vem nos visitar para conhecer nossa política integrada para a primeira infância. Muitos perguntavam se havia algo escrito sobre nossas ações e serviços, mas tudo foi construído enquanto caminhávamos. Só agora, com o trabalho consolidado, pudemos ter tempo para registrar tudo e compartilhar. Sempre me pautei pela ciência, e a ciência implica transmitir o conhecimento que alcançamos. Não tínhamos um modelo nem exemplos a seguir, mas agora podemos oferecer essas sugestões aos gestores públicos que, como eu, priorizam o desenvolvimento integral das crianças”, afirma Teresa.

 

“Boa Vista terá uma sociedade muito mais equilibrada e próspera em alguns anos, resultado dos cuidados com a 1ª infância”, afirma Teresa.

Até 2013, as palavras ‘primeira infância’, ‘desenvolvimento infantil’, ‘fortalecimento de vínculos’ eram totalmente desconhecidas pelo poder público no Estado de Roraima e de certa forma nem mesmo a sociedade sabia a importância e o ganho de se cuidar da primeira infância, recomendados pela ciência e pelo Nobel da Economia. Com o retorno de Teresa Surita, eleita em 2012 para o quarto mandato como prefeita da capital Boa Vista, esse cenário mudou completamente.

A iniciativa de se investir na cidade pensando nas crianças partiu após a participação de Teresa em um curso de especialização de lideranças em desenvolvimento infantil feito em Harvard, uma das universidades mais conceituadas e prestigiadas do mundo, que fica em Cambridge, nos Estados Unidos. Foi lá que Teresa entendeu a importância dos investimentos nas crianças - desde a gestação até os seis anos de idade, fase considerada a mais importante da vida de todo ser humano.

Ao assumir a gestão municipal de Boa Vista, em 2013, amparada pelo Marco Legal da Primeira Infância, Teresa criou uma política pública específica para cuidar das crianças, que é hoje premiada e reconhecida no Brasil e no exterior, o programa Família Que Acolhe (FQA).

Com sede num dos bairros mais populosos de Boa Vista, inicialmente o FQA executou um trabalho de mapeamento das famílias, com cadastros e inscrições para a participação das atividades, capacitações e encontros entre pais e profissionais de saúde, educação, social e áreas essenciais para o desenvolvimento saudável da criança. Além disso, o programa oferece incentivos com a entrega de enxovais, berços, leite e outras assistências às famílias com maior vulnerabilidade social. 

Dentre os serviços oferecidos no FQA estão a Universidade do Bebê (oficinas voltadas aos cuidados com a gestante e a criança), atendimentos médicos, acompanhamento da gravidez e entrega do Leite da Família. As beneficiárias recebem um calendário com toda a programação das atividades para o ano. Em tempos de pandemia, os serviços continuaram de forma on-line, com interação entre os profissionais e as famílias.

Cerca de 25 mil famílias já foram acompanhadas em Boa Vista por profissionais que atuam no programa Família Que Acolhe. “São, pelo menos, 25 mil pais e mães que receberam orientações sobre como amamentar o bebê, incentivos para leitura, a importância da participação dos pais e cuidadores no desenvolvimento da criança. São mais de 20 mil crianças que tiveram a vaga garantida nas creches de Boa Vista, uma política de incentivo à participação nas atividades e nos encontros. É um número impressionante e, com certeza, essas crianças quando se tornarem adultos ajudarão a formar uma sociedade mais igualitária e justa”, explica Teresa.

O foco está no cuidado da criança, desde a gestação até os seis anos de idade, que é, segundo Jack P. Shonkoff (diretor fundador do Centro de Desenvolvimento Infantil da Universidade de Harvard) -, a fase da vida quando se formam as capacidades intelectuais e motoras do ser humano, pois o cérebro está mais apto a absorver e processar informações. É o momento de maior intensidade na conexão dos neurônios. 

Durante os encontros entre os profissionais e as famílias, na sede do programa Família Que Acolhe, são trabalhados a importância do afeto, a linguagem, cognição, ludicidade, a leitura desde a gravidez, o fortalecimento dos vínculos entre pais e filhos, dentre outros ensinamentos que incluem técnicas de preparação para o momento do parto, pós-parto, cuidados com a higiene e importância da amamentação. De acordo com Teresa, todas essas orientações, vivenciadas também com as atividades, possibilitam que a criança se torne um adulto mais saudável, mais equilibrado e mais preparado para o convívio em sociedade. 

“Oferecemos um atendimento integral e intersetorial, que envolve todas as áreas importantes para o desenvolvimento humano. As crianças são acompanhadas por todas as áreas e serviços, seja na saúde, na educação, no social, por onde ela passa todos ficam sabendo o que está acontecendo com ela. Esse olhar diferenciado com as crianças também se estende em relação aos espaços públicos. Nas praças, nos parques e nas festas existe o espaço pensado nelas, para que explorem suas habilidades, de forma educativa e saudável. Esse trabalho de desenvolvimento infantil com certeza é o maior legado que deixei como prefeita de Boa Vista que, a partir dessas nossas intervenções, tornou-se a Capital da 1a infância no Brasil”, comemora Teresa.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem