Main Ad

CASO ANTÔNIA: Telmário diz que tinha intenção de se entregar quando foi preso

Ex-senador Telmário Mota durante audiência de custória, em Goiás — Foto: Reprodução/TJ


O ex-senador Telmário Mota de Oliveira, suspeito de mandar matar a mãe da própria filha, disse em audiência de custódia que tinha intenção de se entregar quando foi preso em Nerópolis. Ele contou que pediu orientação ao advogado do caso que mencionou que ele deveria se apresentar em Brasília.

Natural de Normandia, em Roraima, Telmário disse que saiu de seu estado para Brasília de avião e veio para Goiânia na sexta-feira por conta de uma feira agropecuária. O ex-senador diz que é inocente.

“No domingo fui a uma fazenda de um criador e fiquei por lá. Um amigo que ia me buscar me mostrou uma matéria. Eu estava sem Wi-fi. Liguei para meu advogado que está no caso e perguntei o que eu deveria fazer, ela me orientou a ir para Brasília me apresentar", disse Telmário.

Telmário comentou sobre a abordagem e disse que quando chegou na casa de um amigo já foi abordado por um policial.

“O coronel era da família desse meu amigo e sabia que eu estava lá. Ele puxou a arma e pediu para encostar no muro, mas eu disse calma, sou obediente, não vou resistir, não é para me botar algema”, contou Telmário.


ASSISTA O VÍDEO


O advogado de defesa de Telmário mencionou que ele é leigo sobre a abordagem e ressaltou que foi uma prisão ilegal, sem mandado, em uma viatura descaracterizada, ou seja, em um carro particular do policial, e fora do horário permitido, no domingo, às 20h.


Prisão

Um vídeo exclusivo mostra Telmário Mota dentro de uma viatura da Polícia Civil após a prisão. Segundo o delegado André Fernandes, o ex-senador usou um voo comercial para chegar a Brasília e pegou um ônibus para Goiás. Ele foi preso em Nerópolis, na Região Metropolitana de Goiânia.

“Ao contrário do que a acusação está impondo, o ônus da prova é de quem acusa. Ele está convicto da inocência dele e os elemento probatórios de autoria e materialidade, quem tem que apontar, é a investigação. A defesa está bem confiante de que não há elementos indiciários contra ele”, disse o advogado.

Segundo o delegado André Fernandes, no momento da prisão, Telmário alegou ser inocente. "Ele afirmou que é inocente, que essa versão apresentada pela polícia de lá não procede e não tem provas", explicou.

Fonte: G1 RR

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem