Main Ad

Prefeito inaugura Centro Especializado em Autismo, com atendimentos para alunos da rede municipal

Serão atendidos alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA), entre 2 e 12 anos, regularmente matriculados na Rede Municipal de Ensino

O prefeito de Boa Vista, Arthur Henrique, inaugurou na manhã desta terça-feira, 23, o Centro Especializado em Transtorno do Espectro Autista da Rede Municipal de Ensino que oferecerá atendimento gratuito a alunos com autismo, regularmente matriculados na Rede. O objetivo é garantir suporte quanto a métodos de ensino e recursos pedagógicos já desenvolvidos nas unidades escolares do município, que atende hoje um total de 784 alunos autistas.

De acordo com o prefeito, o Centro oferece uma estrutura pioneira, nunca vista em Roraima. A ideia é fortalecer ainda mais o trabalho desenvolvido na Educação Especial do município, visando contribuir para melhor qualidade de vida das crianças com TEA, por meio de atendimentos que permitirão o desenvolvimento de suas potencialidades, garantindo mais autonomia.

“Através de uma equipe formada por profissionais de diversas áreas reforçaremos a assistência aos nossos alunos com autismo e seus familiares. O encaminhamento dessas crianças ao Centro ficará por conta das próprias escolas, conforme necessidade. Boa Vista já tem uma das redes mais inclusivas do país e estamos muito felizes em fortalecer, ainda mais, esse compromisso com as nossas crianças autistas”, disse.

ESTRUTURA DE PRIMEIRA – Serão oferecidos atendimentos especializados em diversas áreas fundamentais para o desenvolvimento efetivo das crianças com TEA, como: psicologia, fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, pedagogia, arte, educação física e serviço social.

O Centro conta ainda com salas de atendimento educacional especializado, acolhimento, serviço social, avaliação multidisciplinar, sala de artes/música, brinquedoteca, área de circulação, refeitório, banheiros para PCD, dentre outros espaços.

A presidente da União de Pais e Pessoas Autistas (UPP), Muriane Gianluppi, destacou a relevância da iniciativa. “O que mais me chamou atenção foi a janela de vidro nas salas que permite aos pais olharem a criança durante a terapia, sendo literalmente um atendimento transparente. Sabemos que uma criança com autismo, sem terapia, é uma criança que não evolui e poderá ser um adulto não funcional. De fato uma sementinha que foi plantada e esperamos que sirva de inspiração para outras iniciativas similares”, explicou.



ACOLHIMENTO É TUDO – Thays Ribeiro é mãe da pequena Maria Fernanda, de 8 anos, e reconhece a necessidade de mais apoio e atenção a causa. Ela contou que Maria teve um diagnóstico tardio e que tem se desenvolvido graças aos atendimentos na Sala de Recursos Multifuncionais da Escola Municipal Cunhatã Curumim.

“Sou muito de pesquisar e quando descobri sobre o autismo da Maria, busquei lugares e alternativas para contribuírem com o desenvolvimento dela. No particular é tudo muito caro. Depois que ela começou a ser atendida na escola, evoluiu muito. Era uma criança repetitiva, se isolava e pouco conversava. Hoje, ela já consegue se comunicar e sentar para fazer uma atividade. Como mãe, estou muito feliz e espero que o Centro contribua para que ela se desenvolva cada vez mais”.

Ainda falando em evolução, Marlon Souto Maior e a esposa, Alita Souto Maior, pais do pequeno João Bernardo, de 7 anos, também têm muito que dizer sobre a atenção que o filho tem recebido na Escola Municipal Centenário. Eles contaram que em um certo momento, Bernardo apresentou seletividade alimentar severa, comendo somente amendoim e açaí, e que após uma experiência no corredor sensorial da Selvinha do Ayrton Senna, mudou o comportamento.

“Depois que entrou naquele corredor, ele evoluiu bastante, a ponto de sentar na mesa conosco e comer a mesma comida que nós. Ele também passou a ser atendido esse ano em uma Sala Multifuncional e está tendo todo o suporte para se desenvolver. A gente percebe que, desde o primeiro contato com a escola, o Bernardo se sente acolhido e fica feliz em ir para lá. Isso para gente é um indicativo muito bom que as coisas estão fluindo”.



ATENDIMENTOS ESPECIALIZADOS – O Centro reforça o trabalho já desenvolvido na Educação Especial do município, que por meio dos chamados Atendimentos Educacionais Especializados (AEE), oferece suporte a 1.309 alunos considerados público-alvo, entre crianças com deficiência física, intelectual, auditiva e/ou visual, autistas e alunos com altas habilidades.

Esses atendimentos acontecem nas Salas de Recursos Multifuncionais, disponíveis em 67 escolas da Rede. Para isso, Boa Vista conta com 128 professores especialistas na área de educação especial, que além dos atendimentos ofertados, desenvolvem diversos projetos em parceria com a comunidade escolar na qual o aluno está inserido.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem