Main Ad

Verbas para reforma da Maternidade foram perdidas, afirma secretário da SEINF



O secretário de Infraestrutura de Roraima, Edilson Damião (Republicanos), afirmou na segunda-feira (27) que os recursos para a reforma da Maternidade Nossa Senhora de Nazareth foram perdidos.

Ele fez a declaração durante a visita da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) à obra.

O deputado Cláudio Cirurgião (União) relatou durante a sessão desta terça-feira (28), que o próprio Edilson admitiu a perda dos recursos.

“Nós visitamos a maternidade, que está em reforma. E foi dito explicitamente pelo secretário de Obras que os recursos destinados por parlamentares federais foram perdidos. Por isso, é fundamental que tenhamos esses esclarecimentos para tomarmos as devidas providências”, argumentou o deputado.


Emendas

O senador Mecias de Jesus (Republicanos), bem como o deputado federal Nicoletti (União) destinaram quatro emendas para a reforma e ampliação da unidade entre 2020 e 2021. Elas somam cerca de R$ 17 milhões. No entanto, o Governo de Roraima não executou os recursos.

Além disso, tanto o senador, quanto o deputado, nunca cobraram publicamente o governador Antonio Denarium (PP) sobre o assunto.


Requerimentos

Por conta da perda das emendas e de outros problemas, deputados pediram várias informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Eles apresentaram os requerimentos entre fevereiro e março.

Em um deles, os parlamentares querem saber sobre os valores empenhados e executados das emendas. Em outro, eles pedem informações sobre os valores que a Sesau gasta com o aluguel das tendas e lonas onde funciona a maternidade.

O Roraima em Tempo já mostrou que, no primeiro contrato, a Sesau firmou no valor de quase R$ 11 milhões. Contudo, fez um reajuste, e o primeiro ano de aluguel saiu por cerca de R$ 12 milhões. Um ano depois, a Sesau renovou o contrato. Mas dessa vez por R$ cerca de 13 milhões.


Visita

Em fevereiro, o governador Antonio Denarium visitou a obra da Maternidade. Ele estava acompanhado da secretária de Saúde, Cecília Lorezon.

Apesar de a unidade estar em obra desde abril de 2020, ele disse que a conclusão é a meta número 1 de seu Governo. Além disso, afirmou que determinou celeridade nos trabalhos.

A reportagem entrou em contato com o Governo de Roraima. Desse modo, questionou o motivo pelo qual perdeu as emendas. E, do mesmo modo, perguntou com quais recursos vai concluir a obra. No entanto, o Estado não respondeu.

Fonte: Roraima em Tempo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem