Main Ad

Empresa investigada por desvio de medicamentos no Dsei-Y mudou de nome após investigação por desvio de verba da Covid na Sesau

Operação da PF apura desvio de verba de medicamentos no Dsei Yanomami – Foto: TV Imperial


A Polícia Federal (PF) investiga a empresa Balme Empreendimentos por suspeita de desvio de verbas de medicamentos no Dsei Yanomami. Nessa quarta-feira (30), agentes federais cumpriram mandados de busca e apreensão no órgão.

O que poucos sabem é que a mesma empresa já foi investigada pela CPI da Saúde por desvio de verbas, mas na Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

À época a firma tinha o nome de Quantum Empreendimentos. Roger Pimentel é um dos sócios-administradores. Ele chegou a prestar depoimento nas oitivas da CPI.

Na Sesau, o ex-deputado Jean Frank era quem operava com assuntos relacionados às licitações. Ele e Roger Pimentel são cunhados.

Conforme o relatório da CPI da Saúde, a antiga Quantum fornecia insumos para a Saúde na pandemia de Covid-19. Dessa forma, a suspeita é que a empresa tenha participado de um desvio de cerca de R$ 20 milhões em um esquema liderado por políticos ligados ao Governo do Estado.

Ao entregar o relatório final, a CPI pediu o indiciamento da empresa Quantum, bem como dos políticos investigados.

No Dsei Yanomami a empresa fornece medicamentos. Contudo, estes não estavam chegando aos indígenas. O que causou uma epidemia de pneumonia, malária e verminose em centenas de crianças.

Após diversas denúncias na imprensa local e nacional, a Polícia Federal passou a investigar o caso. Assim realizou a Operação Yoasi ontem para cumprir mandados de busca e apreensão.


Ligações políticas no Dsei Yanomami

Atualmente, o ex-vereador Ramsés Almeida dirige o Dsei Yanomami. Ele é indicação de Mecias de Jesus e de Jhonatan de Jesus, ambos do Republicanos.

No entanto, Ramsés também tem forte ligação política com o governador Antonio Denarium (PP). Nesse sentido, apoiou o atual chefe do Executivo nas duas eleições. Tanto em 2018 como em 2022.


Citados

A reportagem procurou o empresário Roger Pimentel para falar em nome da Balme. Contudo, ele não respondeu às mensagens. Do mesmo modo, Ramsés Almeida, diretor do Dsei Yanomami também não quis se pronunciar sobre a operação da PF.

Fonte: Roraima em Tempo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem