Main Ad

Guardiões do Bioma: Em 24 dias, operação apreende 6 toneladas de minério em Terra Yanomami

 


A operação Guardiões do Bioma – Eixo Terras Indígenas – apreendeu 6 toneladas de minérios extraídos ilegalmente da Terra Indígena Yanomami, em Roraima, na região Norte do país. A segunda edição da operação deste ano, iniciada em setembro, durou 24 dias e resultou na apreensão de aeronaves, embarcações, veículos e armas de fogo. Coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), a ação conta com a atuação de 12 instituições federais no estado de Roraima.

As ações ostensivas de repressão a ilícitos ambientais destruíram maquinários utilizados para o cometimento dos crimes, bem como a infraestrutura de suporte às atividades ilegais, inclusive acampamentos em locais proibidos. Também foram colhidos elementos de prova para subsidiar investigações em andamento ou para a instauração de novos procedimentos. As diligências também são realizadas em portos clandestinos, vias fluviais e estradas que promovem apoio logístico a crimes ambientais cometidos na reserva indígena.

Saiba mais

Houve a inutilização de 2 aeronaves; apreensão de 19 aeronaves asa fixa e 3 embarcações; 73 mil litros de combustíveis apreendido; mais de 6 toneladas de minérios apreendidos e 16 pessoas presas.

A Operação Guardiões do Bioma atua de forma integrada com órgãos federais e estaduais. São três eixos de atuação: combate ao desmatamento ilegal, queimadas e incêndios florestais e proteção de terras indígenas. Em 2022, o investimento nos três eixos é de R$ 87,5 milhões. Desse valor, R$ 60 milhões são para o combate a queimadas e incêndios florestais, R$ 25 milhões para o combate ao desmatamento Ilegal e R$ 2,5 milhões para a proteção da Terra Indígena Yanomami.

Além da Polícia Federal e do Ibama, participam das ações o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); EB (1º Batalhão Logístico de Selva em Roraima); a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac); a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP); a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai); a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel); a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP); a Fundação Nacional do Índio (Funai) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Indicadores 2021

As ações repressivas na Terra Indígena Yanomami durante a primeira fase da Operação em 2021 resultou na apreensão de 89 aeronaves e uma de asa rotativa; dez motores de popa; 17 veículos; dois geradores; nove armas; 17,8 mil litros de combustíveis; 29,8 mil kg de minério; 850 munições; nove embarcações do tipo voadeira, entre outras.

Também houve fiscalização de 182 aeronaves, 87 pistas de pouso e 135 postos de revenda; interdição de 22 postos de combustíveis e 14 aeronaves; inutilização de 4 tratores, 10 balsas, 91 motores, 11 veículos, 22 aeronaves e 88,5 mil litros de combustíveis; suspensão de 15 aeronaves e 34 autos de infração.

Fonte: Roraima1


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem