Main Ad

Denarium foge do 2º debate e Teresa promete modernizar o Estado

Teresa afirmou que o foco do seu governo será em resolver os problemas do Estado de Roraima, seja  na infraestrutura, educação, segurança, saúde, geração de emprego, na condição de transformar o estado em um exemplo para o país assim como fez de Boa Vista uma das melhores cidades para se viver


Antonio Denarium (PP) – que quer um segundo mandato como governador – demonstrou mais uma vez não ter responsabilidade e nem respeito ao povo de Roraima: ele fugiu de mais um debate, realizado na manhã deste domingo (18) pelo pool de empresas TV Cultura, Folha de Boa Vista e Rádio FolhaFM 100.3. É o segundo debate realizado em menos de uma semana em que Denarium deixa a cadeira vazia.

O lugar de Denarium no palco do debate ficou vazio e foi mostrado pela TV Cultura a todo instante. Ele havia confirmado presença. Estavam presentes os candidatos Teresa Surita (MDB), Fábio Almeida (Psol), Rudson Leite (PV) e Juraci Escurinho (PDT).

Como desculpas para não comparecer ao encontro com os demais candidatos, Denarium enviou uma nota alegando que não es fazia presente ao debate porque estava acompanhando os trabalhos da Defesa Civil, por conta as fortes chuvas da noite de sábado que causaram estragos em algumas estruturas do Estado.

A nota de Denarium chegou ao comando das emissoras organizadoras do debate, faltando 20 minutos para o início do evento. A atitude do governador logo repercutiu nas redes socais com bastante ênfase na falta de compromisso do governador em ignorar o espaço para difundir propostas de Governo e apresentar como prestação de contas aquilo que ele realizou como gestor nesses quase 4 anos de mandato.

O debate foi mediado pelo economista e radialista Getúlio Cruz e teve a participação de jornalistas da empresa. O debate foi dividido em três blocos, e não houve plateia. No primeiro bloco os candidatos responderam a perguntas feitas pelo mediador sobre o plano de governo e iniciam o primeiro confronto direto, fazendo perguntas entre si. No segundo bloco, as perguntas foram formuladas por jornalistas do Grupo Folha. O terceiro bloco foi mais uma rodada de confronto direto entre os candidatos, com as mesmas regras do primeiro bloco, encerrando com as considerações finais.

Teresa apresenta propostas

Teresa afirmou que o foco do seu governo será em resolver os problemas do Estado de Roraima, seja  na infraestrutura, educação, segurança, saúde, geração de emprego, na condição de transformar o estado em um exemplo para o país assim como fez de Boa Vista uma das melhores cidades para se viver.

“Estou preparada para enfrentar esse momento, eu passei por avaliação e fui aprovada várias vezes e trabalhei na prefeitura com orçamento equivalente a Secretaria de Educação do Estado. Quem fez tanto com tão pouco, sabe como dar o resultado para o nosso estado que as pessoas precisam, com qualidade de vida. Esse é o meu compromisso. É resolver o problema do interior, dar apoio ao pequeno produtor, gerar emprego, tirar 130 mil pessoas da pobreza, que passam fome hoje no Estado. É tirar nosso estado do último lugar do Brasil como mais pobre, segundo o IBGE”, afirmou.

Teresa destacou sua história em gestão pública. E ressaltou que durante seus mandatos a frente da Prefeitura de Boa Vista, trabalhou cumprindo com todas as promessas e com seus compromissos, com um programa de governo registrado em cartório.

“Com pouco dinheiro, conseguimos transformar a capital Boa Vista, com 70% da população, onde muitos bairros têm um número maior de pessoas que os municípios e fiz com uma equipe técnica, cuidando de todos, porque um gestor precisa saber cuidar das pessoas e eu sou experiente nisso”, disse.

Ela frisou ainda que tem o sonho de ser governadora porque Roraima pode ser muito melhor do que é hoje. Que sabe como fazer para transformá-lo.

“Eu não sou uma ilusão. Tenho como garantia um trabalho já feito. Não estou vendendo esperança no sentido de esperar, mas sim, esperança para que a gente possa mudar, e é o que eu vou fazer como governadora. Ninguém vai ser esquecido, nem os jovens que estão fora da escola, nem as comunidades indígenas, nem os idosos que não têm um programa social do estado em todos os municípios, nem o pequeno agricultor, que não tem estrada. Vamos dar apoio para eles produzirem. Vamos chegar em todos os lugares, nos mais distantes e resolver os problemas de Roraima. Em quatro anos nós vamos ter um outro Estado. É o meu compromisso com as pessoas”, garantiu.

Na saúde, Teresa afirmou que oferecer um sistema de qualidade à toda população, que vai fazer com que os serviços cheguem nos locais mais distantes e hoje, são esquecidos pelo atual governo. “Vamos transformar o Coronel Mota em um centro de referência, construir uma UPA no Amajari, um hospital infantil em Rorainópolis, uma maternidade para que as mães possam ter seu filhos com dignidade. Vamos promover saúde com qualidade, com dignidade para as pessoas”, afirmou.


“A nossa ação será imediata, vamos dar condições para que nossos jovens tenham educação com qualidade”

Ao falar sobre educação, Teresa disse que esse é um dos pontos mais importantes em que vai trabalhar, pois é uma área de Roraima que está em situação de abandono e não pode mais esperar. “Nas comunidades indígenas as crianças sentam no chão, os prédios não dão a mínima condição de atendimento aos nossos jovens. A nossa ação será imediata, vamos dar condições para que nossos jovens tenham educação com qualidade, vamos promover cursos profissionalizantes, intercâmbio, fazer com que a escola seja atrativa”, pontuou.

Ela falou da dificuldade enfrentada pelos pais quando os filhos saem da educação do município de Boa Vista para a educação do estado e que vai trabalhar para fazer de Roraima um exemplo para o Brasil. “Quero colocar a angustia dos pais que tem filhos na escola muncipal que é 5ª melhor educação do país e no ano seguinte sai para a pior educação do Brasil, o quanto esses jovens regridem na condição do aprendizado. Nosso desafio na educação é urgente, precisamos dar condições e qualidade para os nossos professores, com capacitação permanente, oferecer cursos técnicos e profissionalizantes”, garantiu.

“A Caer despeja esgoto in natura no Igarapé Mirandia, que passa dentro do Parque do Rio Branco”

Dentre os questionamentos, Teresa reafirmou que a Caer não será privatizada. “Pelo contrário, ela será modernizada para  levar serviço de qualidade a todas as localidades do Estado. Pois há localidades que o serviço não chega. Hoje, temos sistemas muito modernos facilmente implantados que podem resolver essa situação. Hoje, a Caer despeja esgoto in natura no Igarapé Mirandia, que passa dentro do Parque do Rio Branco, nosso maior cartão postal do Estado  e isso não pode acontecer”, disse.

Roraima é o pior Estado em desigualdade de renda e o mais pobre do Brasil, de acordo com levantamento do IBGE. Quase 50% da população do estado hoje vive com menos de R$500 por mês. Ao falar sobre economia, Teresa pontuou que Roraima nunca esteve numa situação tão difícil como está agora em relação a condição da pobreza.


“Precisamos tirar o nosso Estado dessa situação de pobreza com ações efetivas”

“O IBGE nos coloca como o Estado que pior faz a distribuição de renda e que menos gera emprego. Precisamos tirar o nosso estado dessa situação com ações efetivas, sociais atreladas as questões econômicas. Roraima tem uma condição expecional para desenvolver o turismo, a agricultura familiar. Vamos dar condições para as pessoas trabalharem, estradas, produção, comercialização. Com o apoio do governo temos a certeza do resultado”, destacou.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem