Main Ad

Medicamentos destinados aos Yanomami são encontrados em casa abandonada no São Francisco

Medicamentos estavam espalhados pelo local — Foto: PCRR/Divulgação


A Polícia Civil encontrou nesta quarta-feira (31) diversos medicamentos vencidos, que seriam destinados aos indígenas Yanomami, em uma casa abandonada no bairro São Francisco, na zona Norte de Boa Vista. O caso foi encaminhado à Polícia Federal.

Os remédios foram encontrados durante uma investigação da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (DRCAP) sobre tráfico de drogas na região, ocasião em que os policiais se depararam com a casa abandonada e encontraram os remédios.

No local, eles encontraram os medicamentos em caixas e sacos de lixo. Além disso, havia frascos espalhados pelo chão. A Civil constatou que os remédios eram destinados ao Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami (Dsei-Y) -- órgão do Ministério da Saúde responsável pela saúde indígena Yanomami.

“Eram muitas caixas, com diversos medicamentos, muitos vencidos desde 2021. Desta forma, entendemos que não era competência da Polícia Civil e acionamos a Polícia Federal”, explicou a delegada Magnólia Soares.

Operação Yoasi

Em outubro de 2023, a Polícia Federal deflagrou a segunda fase da Operação Yoasi, que investiga suspeitos de lavar recursos do desvio de medicamentos destinados ao povo Yanomami. Na ocasião, foram cumpridos 4 mandados de busca e apreensão.

Os investigados são empresário e servidores do Dsei-Y que investiram quantias de dinheiro em empresas suspeitas para tentar fazer com que parecesse que o dinheiro desviado era legal.

A primeira fase da operação, deflagrada em novembro de 2022, investigou o suposto esquema que teria deixado mais de 10 mil crianças Yanomami desassistidas, com a efetiva entrega de apenas 30% dos medicamentos adquiridos pelo Dsei-Y.

Maior território indígena do Brasil, a Terra Indígena Yanomami passa por uma grave crise humanitária e sanitária em que dezenas de adultos e crianças sofrem com desnutrição grave e malária. Desde o dia 20 de janeiro de 2023, a região está em emergência de saúde pública.

Fonte: g1 Roraima


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem