Main Ad

Denarium contrata duas empresas investigadas na CPI da Saúde por mais de R$ 36 milhões

Secretário de Educação, Nonato Mesquita e o governador Antonio Denarium – Foto: Reprodução/Facebook


O Governo de Roraima, por meio da Secretaria de Educação (Seed) contratou duas empresas para serviços de limpeza e conservação pelo valor total de R$ 36.313.492,54. Ambas possuem histórico de investigação na Justiça e na CPI da Saúde por contratos com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

Os extratos de contrato estão publicados no Diário Oficial (DOE) do último dia 3 de janeiro. Conforme o documento, a União Comércio e Serviços Ltda., contratada por R$ R$20.933.165,28, e a Haiplan Construções Comércio e Serviços Ltda., por R$ 15.380.327,26, vão atender as necessidades da Seed.


União Comércio

A empresa União Comércio é registrada no nome dos sócios administradores Antônia Pereira de Araújo e Gilmar Pereira de Araújo,. Eles são parentes do senador Mecias de Jesus (Republicanos).

De acordo com a denúncia enviada à redação, os irmãos Gilmar e Antônia mantêm uma vida muito simples, que não condiz com os valores recebidos pela empresa. A sócia, inclusive, residia em uma casa simples no bairro Cambará, em Boa Vista.

Conforme pesquisas feitas no Diário Oficial do Estado (DOE) a empresa pode ter recebido mais de R$ 100 milhões entre 2014 e 2020 do Governo.


Investigadas

A União Comércio e Serviços Ltda acabou sendo investigada na CPI da Saúde iniciada em 2019. É que ela já tinha contrato firmado para limpeza da maternidade desde 2016.

No entanto, em uma publicação no Diário Oficial do dia 30 de abril de 2020, constava um termo aditivo que permitia que a firma recebesse mais R$ 5 milhões para realizar o mesmo serviço. Além disso, a investigação do contrato contribuiu para um pedido de impeachment do governador Antonio Denarium (PP).

Já a Haiplan Construções Comércio e Serviços Ltda também foi uma das 13 empresas investigadas na CPI da Saúde, que também investigou 65 pessoas no ano passado.

Dessa forma, a Comissão analisou mais de 40 contratos formalizados na Sesau. Inclusive, alguns realizados durante a pandemia. O documento apontou irregularidades em aquisição de álcool em gel, assim como de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Citada

Procurada, a Seed informou que as empresas foram submetidas a processo de licitação. Assim, apresentaram todas as documentações legais exigidas no certame, sendo então contratadas para a prestação de serviços.

Fonte: Roraima em Tempo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem