PCRR cumpre mandado de prisão contra quatro pessoas condenadas pela Justiça

Foram cumpridos quatro mandados de prisão por sentença condenatória por estupro de vulneráveis (Foto: Ascom/PCRR)


Em três ações distintas realizadas pela PCRR (Polícia Civil de Roraima), por meio da equipe da Polinter (Delegacia de Polícia Interestadual) foram cumpridos quatro mandados de prisão por sentença condenatória, por estupro de vulneráveis. Três pessoas foram presas em Roraima e uma quarta em Santa Catarina. As prisões ocorreram entre a sexta-feira, 7 e sábado, 8.

As diligências para a localização e prisão dos quatro foram coordenadas pelo delegado titular da Polinter, Alexandre Matos.

A primeira prisão efetuada foi do desempregado C. A. S. C., de 49 anos, ocorrida no Bairro dos Estados. Ele foi sentenciado à pena de 17 anos e 22 dias de prisão em regime inicialmente fechado pelo crime de estupro de vulnerável, contra a própria filha, ocorrido no ano de 2017. Na época, a vítima tinha 12 anos de idade e estava morando com o pai. A mãe dela estava no Amazonas e deixou a filha com o pai enquanto se organizava financeiramente e depois a levou para morar com ela, ocasião em que descobriu que a filha havia sido estuprada pelo próprio pai por cinco vezes.

O caso foi comunicado à Polícia Civil e denunciado pelo Ministério Publico Estadual. O homem foi processado e sentenciado pelo crime e teve sua prisão por sentença condenatória decretada, após transitado em julgado.

O casal G. R. P., de 40 anos e M. H. A. S., de 48 anos., foram presos na Comunidade Tabalascada, no município do Cantá. Contra eles havia um mandado de prisão por sentença condenatória.

O homem foi condenado à pena de 23 anos e quatro meses de reclusão em regime fechado por crime de estupro de vulnerável contra três enteadas, com idades de 9, 11 e 12 anos de idade na época dia fatos. Os crimes ocorreram entre os anos de 2007 e 2014. A mulher dele, mãe das três vítimas, foi condenada à pena de 13 anos e quatro meses de reclusão em regime fechado por estupro de vulnerável por omissão imprópria. A Justiça entendeu que a mulher foi omissa e não fez nada para impedir a violência sexual contra as filhas.

Os policiais civis de Roraima, numa ação integrada com a Polícia Civil de Santa Catarina, cumpriram o mandado de prisão por sentença condenatória contra I. N. C.., de 37 anos, sentenciado à pena de 13 anos e quatro meses de reclusão em regime fechado por crime de estupro de vulnerável.

Ele foi acusado de constranger uma criança de 05 anos, no dia 26 de agosto de 2013, à prática de ato libidinoso diverso da conjunção carnal, em uma sala numa escola municipal de Boa Vista, onde trabalhava como cuidador de aluno. A criança contou à mãe o que tinha acontecido, que foi à escola e o acusou. Posteriormente foi à Polícia que investigou o caso e encaminhou à Justiça. O ministério Público Estadual ofereceu denúncia contra o acusado, que foi sentenciado.

Diligências foram realizadas em Roraima para prendê-lo. Os policiais descobriram que ele estava morando em Santa Catarina e com apoio dos policiais civis de Canoinhas e São Bento do Sul, foi possível localizá-lo e prendê-lo. As quatro prisões foram comunicadas pela Polinter à Justiça de Roraima.

FONTE: PCRR

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem