Main Ad

Normandia: PCRR prende homem condenado por abusar das duas filhas

 

J.B.S de 67 anos, foi condenado por ter estuprado as duas filhas, uma de 12 e outra de 15 anos, na época do crime (Foto: Ascom/PCRR)

Agentes da PCRR (Polícia Civil de Roraima), lotados na delegacia de Normandia e no GRT (Grupo de Resposta Tática), cumpriram um mandado de prisão em desfavor de um idoso, J.B.S de 67 anos, condenado pela Justiça Estadual por ter estuprado as duas filhas, uma de 12 e outra de 15 anos, na época do crime.

A ação ocorreu nesta quinta-feira, dia 09, quando os agentes localizaram o condenado na Comunidade Indígena Nova Amizade, área rural de Normandia.

Conforme o Delegado titular do Município, Rodrigo Gomides, o crime ocorreu em 1998, em Pacaraima e foi descoberto no ano seguinte, após uma denúncia feita pela esposa do acusado à época.

“As crianças não aguentando mais os abusos contaram para a mãe que procurou a delegacia na época e registrou o boletim de ocorrência”, disse o delgado.

Conforme a denúncia criminal feita pelo Ministério Público Federal sobre o caso, o homem manteve relações sexuais com as filhas menores, uma de 15 e outra de 12, por quase um ano. No documento, o órgão afirma que as práticas sexuais eram realizadas “mediantes grave ameaça”.

“O primeiro estupro, contra a menor de 15 ano ocorreu no mês de julho de 98, na ocasião da Copa do Mundo de Futebol(…). O denunciado chamou a filha para deitar-se junto com este na rede e ameaçou-a de violentá-la caso não o atendesse. A vítima intimidada atendeu a ordem e ele a estuprou”, narra o documento.

O MPF disse ainda que J.B.S abusou da filha mais nova na frente da mais velha e que a menina, em seu depoimento, alegou que durante o ato sexual a vítima “gritava e chorava”.

“Desde então, o denunciado continuou a forçar as filhas a manterem relações sexuais, sempre sob ameaças de violência, de expulsão de casa e até de morte”, diz o texto do MPF.

O caso teve uma primeira sentença expedida em agosto de 2010, no qual o homem foi condenado pela Justiça Federal a nove anos de prisão. Contudo, em abril de 2024 o mandado de prisão foi novamente expedido pela Justiça Estadual, na Comarca de Pacaraima.

“Foi então que a equipe do Setor de Inteligência de Normandia foi informada sobre o mandado de prisão e que o condenado estaria na Comunidade Indígena Nova Amizade. Compartilhamos o mandado com o GRT que efetuou a prisão”, disse o delegado Rodrigo Gomides.

Após ser localizado, o homem tomou ciência do mandado de prisão e foi encaminhado à Delegacia onde passou pelos trâmites formais. Logo após, foi submetido aos exames periciais do IML (Instituto de Medicina Legal) e encaminhado para Audiência de Custódia, onde teve a prisão homologada. Ele foi encaminhado ao Sistema prisional.

FONTE: PCRR



Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem