Main Ad

Moradores relatam prejuízos em meio ao aumento de incêndios

No total, foram registrados 2.605 focos entre janeiro e fevereiro em Roraima - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Casas destruídas, plantações inteiras devastadas e animais carbonizados. Os focos de incêndio em Roraima têm afetado o estado desde o fim de janeiro e se juntam aos efeitos da estiagem. Em Boa Vista, o Rio Branco, que abastece a capital está abaixo da média. Nas áreas rurais e nas comunidades indígenas, os prejuízos se acumulam.

Roraima lidera o número de focos de calor do país em 2024, segundo dados do Instituto de Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) desta quarta-feira (28). No total, foram registrados 2.605 focos entre janeiro e fevereiro.

O período de seca vivido no estado é agravado pelo El Niño, fenômeno meteorológico que eleva as temperaturas. Além disso, especialistas relacionam como agravante as mudanças climáticas e a liberação de áreas de queimadas pelo governo

A situação piora com a seca do Rio Branco, principal rio de Roraima. Nesta quarta-feira (28), o rio marcou - 0,15 centímetros, o que é considerado abaixo da média. Em 2016, quando o estado enfrentou uma das piores secas da história, o volume de água ficou em - 59 centímetros.

Os prejuízos causados pela estiagem e pelas queimadas ainda não foram contabilizados por completo em todo o estado, mas Defesa Civil estadual informou que há relatos de açudes e igarapés que secaram em propriedades rurais, plantações queimadas e animais mortos pelo fogo.

Fonte: g1 Roraima

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem