Main Ad

Enquanto PT defende a Palestina, terroristas do Hamas mantém brasileiro refém há mais de 100 dias

Michel Nisenbaum é pai de duas filhas e avô de cinco netos - Foto: Arquivo Pessoal

O Partido dos Trabalhadores (PT) reacendeu a polêmica ao sair em defesa do grupo Hamas, acusando Israel de cometer genocídio contra o povo palestino. A declaração ocorre em meio ao sequestro prolongado de Michel Nisenbaum, brasileiro mantido como refém pelo Hamas por mais de 100 dias.

Michel Nisenbaum, pai de duas filhas e avô de cinco netas, está entre os mais de 100 reféns que permanecem em cativeiro na Faixa de Gaza desde o sequestro de 240 pessoas pelo Hamas em Israel.

A situação crítica dos reféns foi destacada recentemente pela organização StandWithUs Brasil, que ressaltou a continuidade do sequestro perpetrado pelos terroristas do Hamas.

Ontem, 14 de janeiro, marcou o centésimo dia desde o sequestro em massa, e a angústia persiste para Michel Nisenbaum e os demais reféns.

A StandWithUs Brasil enfatiza a importância de não esquecer e deixar para trás essas vítimas de um ato tão grave, chamando a atenção da comunidade internacional para a urgência de uma resolução pacífica e a libertação dos sequestrados.

A posição do PT em defender o Hamas, mesmo diante do prolongado sequestro e sofrimento de um cidadão brasileiro, levanta questionamentos sobre a abordagem do partido em relação a conflitos internacionais e o equilíbrio entre apoio político e a defesa dos direitos humanos.

O Brasil aguarda ansiosamente por uma solução que garanta a segurança e libertação de Michel Nisenbaum e dos demais reféns mantidos pelo Hamas.

Fonte: O Farol Diário

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem