Main Ad

Prefeito de São Luiz é cassado por distribuir cestas, dinheiro e até viagens para idosos em troca de votos



O prefeito de São Luiz, município ao Sul de Roraima, James Batista (SD), teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR) por abuso de poder econômico em troca de votos nas eleições municipais de 2020. A decisão cabe recurso. Com isso, ele permanece no cargo até a decisão superior.

Entre as acusações contra ele estão a distribuição de cestas básicas, de dinheiro e de viagens para idosos que faziam parte de um projeto social do município. Os passeios, com tudo pago e usando a imagem pessoal de James, foram para Presidente Figueiredo, no Amazonas, Tepequém, em Roraima, e Alter do Chão - o Caribe Brasileiro, no Pará.

A decisão de cassação é do juiz eleitoral Marcelo Batatistela Moreira, da 4ª zona eleitoral de São Luiz. Procurado, o prefeito James disse à Rede Amazônica na noite dessa segunda-feira (11) que recebeu a notícia "com surpresa" e que vai recorrer à decisão.

"Vamos recorrer e utilizar os meios jurídicos necessários para mostrar que houve uma decisão equivocada. Respeitamos a decisão que foi tomada, mas não concordamos com ela. Sabemos que é uma decisão equivocada que será revertida, pois vamos comprovar que nenhum crime foi cometido neste caso", disse.

A cassação é resultado de uma ação da Polícia Federal que apreendeu R$ 40 mil que seriam usados para compra de votos durante as eleições de 2020 - a apreensão foi no domingo de eleição. No dia, a PF encontrou dinheiro escondido embalagens de absorventes femininos. Além disso, James quebrou o próprio celular e chegou a mentir para os policiais dizendo que estava sem aparelho havia três dias.

Antes do R$ 40 mil, foram apreendidos R$ 33 mil em uma caminhonete em frente à praça da cidade. Pra o juiz, o montante "aliado às listas de eleitores (mais de 200 nomes e seções eleitorais), comprovam a compra de votos às vésperas da eleição/2020, somando mais de R$ 73 mil em dinheiro em espécie ainda a ser distribuído [aos eleitores]".

Além disso, o Ministério Público Eleitoral acusou o prefeito de usar um projeto social para idosos no município para "para fins de captação de votos, organizando-se grupos da terceira idade para viagens/passeios patrocinados pelo representado 'James'." À época, um grupo de idosos foi levado para Alter do Chão, no Pará, conhecido como o "Caribe Brasileiro".

Fonte: G1 RR

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem