Main Ad

MPRR reforça pedido de condenação de secretário que usou detentos para obra na própria casa

Secretário é réu por improbidade administrativa – Foto: Arquivo/Roraima em Tempo/Edinaldo Morais


O Ministério Público de Roraima (MPRR) reforçou nesta segunda-feira (27) o pedido de condenação do secretário de Estado André Fernandes. O titular da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) usou detentos do sistema prisional para a construção de uma cerca de madeira em sua casa.

O MPRR denunciou o secretário em novembro de 2019, por ele utilizar os serviços dos detentos sem a autorização da Justiça. O juiz aceitou a denúncia e André se tornou réu em julho de 2021.

As investigações do órgão indicam que o secretário usou, inclusive, viatura oficial para transportar os detentos, sem escolta para vigiá-los.

Desde então, audiências foram feitas, o processo foi suspenso, e a defesa sugeriu multa de R$ 18 mil, desde que Fernandes permanecesse no cargo.

Contudo, o Ministério Público rejeitou a possibilidade por quatro vezes. Além disso, insistiu para que ele saia da função, já que a postura “não condiz com a de um secretário de Estado”. Contudo, o Governo nunca atendeu.


Manifestação do MPRR sobre secretário

A nova manifestação do MPRR ocorre após pedido do juiz Luiz Alberto de Morais Júnior. Ele provocou o órgão devido mudanças na Lei que rege crime de Improbidade Administrativa.

Assim, o MPRR pediu a manutenção do art. 11, inciso I, da Lei, pois o secretário praticou um ato que a lei proíbe.

“Afaste a incidência das alterações promovidas pela Lei n.º 14/230/2021, tendo em vista que ao caso não se aplica o princípio da retroatividade da lei mais benéfica, conforme decidido pelo Supremo Tribunal Federal”.

O promotor Luiz Antonio Araújo de Souza é quem assina o documento. Ele pede o andamento normal do processo.

“Requer, por fim, seja dado regular prosseguimento ao processo, com o acolhimento do pleito ministerial, condenando o réu nas sanções do art. 12 da LIA, conforme pleiteado na peça vestibular”.

Fonte: RR em Tempo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem