Main Ad

Força-Tarefa de Segurança vai encerrar atividades em Pacaraima, fronteira com a Venezuela

 

Drogas apreendidas pela Força-tarefa – Foto/Divulgação/FTSP


O Força-Tarefa de Segurança Pública (FTPS) vai encerrar as atividades em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela.

Dessa forma, o Ministério Público de Roraima (MPRR) publicou uma portaria nesta quinta-feira (13) para instaurar procedimento para acompanhar e fiscalizar o fim das ações.

A Polícia Federal criou a FTSP em 2019 com o intuito de fortalecer o combate ao crime organizado em Roraima. Especialmente no tráfico de drogas.

A ação é composta também pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Civil de Roraima (PCRR), Polícia Militar de Roraima (PMRR). Integram ainda a Força-Tarefa a Secretaria de Justiça e Cidadania, bem como a Secretaria de Segurança Pública (Sesp).

A princípio, a ação ficou denominada pelo grupo como Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO). Contudo, dois anos depois mudou para FTSP.

Na época, a PF assinou um Termo de Cooperação Técnica com o Estado para compartilhamento dos sistemas entre as instituições. Conforme a PF, o intuito era agilizar investigações, entre outros.


Preocupação

O promotor de justiça de Pacaraima, Felipe Hellu Macedo externou preocupação com o fim da FTSP na fronteira.

“A atividade fiscalizatória exercida pela operação gerou grandes e notáveis resultados para a segurança pública do Estado. É certo que o encerramento da operação prejudicará o combate ao crime em toda a região e já encontra consequências, como o homicídio ocorrido no dia de hoje em Pacaraima”, disse.

Por conta disso, o MPRR decidiu instaurar procedimento administrativo para tentar resolver a situação.

“Na certeza de que o abandono da fiscalização não poderá permanecer, o Ministério Público instaurou procedimento administrativo para, em conjunto com as forças do Estado, tentar solucionar o problema o mais breve possível e, caso seja necessário, promoverá as medidas judiciais adequadas”.


O que diz a PF

A reportagem entrou em contato com a PF para saber o que levou o órgão a retirar ação da fronteira e aguarda resposta.

Fonte: Roraima em Tempo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem